Publi Saúde

Tratamento para transtorno de défict de atenção (TDAH) São José dos Campos, São Paulo

Tratamento para transtorno de défict de atenção (TDAH) em São José dos Campos. Conheça os profissionais de São José dos Campos e região; você também encontrará nesta página artigos educativos, eventos, opiniões, etc.

Márcia Rodrigues
(13) 9711-0903
av Costa e Silva,Pres, 609, An 7, Boqueirão
Praia Grande, São Paulo

Dados Divulgados por
NANCI NICOLAU - Psicóloga Santo André
(11) 9222-4361
Av. Portugal, 1007 - Conj. 59 L
Santo André, São Paulo
 
Orbis Nucleo de Educacao e Psicologia Ltda
(11) 3683-2107
r Dante Batiston, 73, A, Centro
Osasco, São Paulo

Dados Divulgados por
Ruy José de Oliveira Camargo
(17) 3232-3484
r Deodoro da Fonseca,Mal, 3710, Vl Sta Cruz
São José do Rio Preto, São Paulo

Dados Divulgados por
Marcelly Brito - Psicologia Infantil e Adolescente
(11) 8673-1864
Rua Moacir Piza, 74
São Paulo, São Paulo
 
Autonoma
01124092043
Av.Mariana Ubaldina do Espirito Santo,57 sala 43-H
Guarulhos, São Paulo
 
Irineu Américo de Oliveira
(11) 2409-3101
r Epitácio Pessoa,dr, 115, Jd Sta Francisca
Guarulhos, São Paulo

Dados Divulgados por
Psicóloga Dra Maria Aparecida Cunha
(11) 3903-5151
r Henrique Fontenelle,Brig, 737, Sl 2, Prq São Domingos
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
nappsicologia núcleo de assessoria psicológica
11 9603 3041 11 6837 3184
Rua Drº Tosta 194 centro
Bragança Paulista, São Paulo
 
Sibely K. Nogueira de Barros
(12) 3941-3069
Rua Santa Elza, 241 Vila Ady Anna
São José dos Campos, São Paulo
 
Dados Divulgados por

Tratamento para transtorno de défict de atenção (TDAH)

Fornecido por: 

Transtorno de Défict de Atenção - O que é o TDAH?

Nos portadores de Transtorno de Défict de Atenção / Hiperatividade (TDAH) ou Distúrbio de Défict de Atenção (DDA) os neuro-transmissores, dopamina e noradrenalina (substâncias químicas do cérebro que transmitem informações entre as células nervosas) encontram-se diminuídos, fazendo com que a atividade do córtex pré-frontal seja menor. É uma disfunção neurobiológica.

Essa região é a parte mais evoluída do cérebro e supervisiona as funções executivas: observa, guia, direciona e/ou inibe o comportamento, organiza,
planeja, e faz a manutenção da atenção e do auto-controle.

Essa disfunção é crônica, herdada na grande maioria das vezes, daí sua presença desde a infância.

Em menor grau há fatores do meio ambiente que podem estar relacionados ao TDAH (DDA):

A nicotina de cigarros fumados pela mãe gestante bem como bebidas alcoólicas consumidas, podem ser causas significativas de anormalidades no desenvolvimento da região frontal do cérebro da criança em gestação.

Crianças expostas ao chumbo entre 12 e 36 meses de idade pode ser outro fator.

Traumatismos neonatais como hipoxia (privação de oxigênio), traumas obstétricos, rubéola intra-uterino, encefalite, meningite pós-natal, subnutrição e traumatismo craniano são fatores que também podem contribuir para o surgimento do distúrbio.

O TDAH (DDA) é um transtorno real, um obstáculo real, apesar de não haver nenhum sinal exterior de que algo está errado com o Sistema Nervoso Central.

Antigamente era conhecida como “Disfunção Cerebral Mínima”. Mais tarde passou a chamar-se “Síndrome Infantil da Hiperatividade”. Nos anos 70, o conceito foi ampliado com o reconhecimento do déficit na atenção e do controle dos impulsos. Em 1987 o nome passou a ter a atual denominação: “Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade”.

Ao contrário do que se pensava antigamente, o TDAH (DDA) não é superado na adolescência: cerca de 65% das crianças diagnosticadas como portadoras de TDAH continua com os sintomas quando atinge a idade adulta.

Os principais sintomas são: falta de atenção, impulsividade e hiperatividade ou uma “ energia nervosa ”.

A impulsividade tem um aspecto positivo, podendo nos levar muitas vezes à ação. O problema é quando ela se...

Clique aqui para ler este artigo no Publi Saúde